quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

E é isto o Natal!

Se o Natal fosse só uma palavra,
um juntar de sílabas e entoações,
um espaço para encher...

bastavam sons ocos, gestos fechados...
olhares vazios e despidos de cores!
Com uma aridez embrulhada em papel cochet

e luzindo em espasmos artificiais...
assim seria o Natal!
Não...
O Natal
é uma palavra ao meio,
é um ruído harmonioso nas mãos,
é uma quentura no profundo
de cada um de nós...
O Natal é
DIZER A GRITAR : é NATAL
É dizer: há uma floresta de afectos
para partilhar...
O Natal,
de perfil, é uma criança feliz!
A.C.

2 comentários:

elisa alves disse...

Mais uma vez, gostei, gostei muito.

O teu dizer foi a melhor forma de dar voz a muitos que, não sabendo dizer deste jeito, ainda acreditam, como tu, num Natal que
é "palavra ao meio",
que é "floresta de afectos para partilhar",
que é "uma quentura no profundo de cada um de nós"
e que, "de perfil, é uma criança feliz".

O melhor Natal de sempre.

Paula Cruz disse...

Muito, muito bonito.
Ainda bem que há quem consiga dizer assim o indizível.
O Natal, assim dito, é uma agasalho.

Paula